ENSINO A DISTÂNCIA DEVE ULTRAPASSAR O PRESENCIAL EM POUCOS ANOS ESTIMATIVA PREVÊ QUE O RECENTE MÉTODO SUPERE O TRADICIONAL EM 2023

eadfoto12092018
0

O método de ensino a distância (EAD), vem crescendo em ritmo acelerado e a previsão para os próximos anos é que o Brasil tenha mais alunos inscritos nessa modalidade do que na graduação presencial. Isso é a estimativa de uma pesquisa divulgada no primeiro semestre do ano pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES),representante de grande parte do ensino superior no país, mostra que 44% dos entrevistados optariam por essa modalidade, enquanto 56% dizem que preferem o ensino presencial. Nesse ritmo de crescimento, a previsão é que o país tenha a partir do ano de 2023, mais alunos estudando a distância que nas salas de aula tradicionais.

O fator financeiro e a praticidade das aulas são os principais fatores indicados pelos alunos, desses 67%  têm mais de 30 anos, 83% trabalham. O público que mais opta pelas aulas presenciais são os até os 30 anos, cerca de 53%, a dificuldade de acompanhar as aulas e seguir uma rotina de estudos estão dentre as principais respostas.

Apesar ainda sofrer certo preconceito por parte de pessoas que desacreditem no método. Para o coordenador e professor do curso de jornalismo da Universidade Estácio de Sá, Roberto Oto, o EAD é uma modalidade de ensino que será mais adotada futuramente.

– Acredito que essa discussão de que na educação a distância o ensino é pior, que não substitui a sala de aula ou a presença do professor, em breve não fará mais sentido. Porque estamos passando por um momento de transição, então é normal que haja essa comparação, mas a EAD pode servir de complemento da presencial e provavelmente o que vai acontecer é ela se adequar às demandas do aluno – falou.

O professor relata que tanto o novo método quanto no presencial a dedicação do aluno é o principal fator para o aprendizado.

– Tem uma questão em relação ao ensino a distância, que é importante, muitos não gostam dessa modalidade porque tem dificuldade em concluir o curso, em acompanhar o conteúdo programático do curso, mas aí é uma questão de cada um, é algo de disciplina, determinação, e condições para realizar o curso. Mas o presencial também oferece desvantagens para algumas pessoas, já que você tem hora para chegar e sair no curso e está em um espaço restrito – disse.

O técnico em laboratório Kevin Simão Abrunhosa cursa o 6º período da faculdade de Geografia e relatou que a opção foi escolhida exclusivamente por ser o único curso semipresencial oferecido na cidade.

– Minha vontade desde quando entrei no ensino médio era cursar geografia, mas em Petrópolis só tem semipresencial, quando vi que estava sendo oferecido resolvi cursar mesmo sendo a distância e segundo pela flexibilidade de horário devido ao trabalho. No começo é difícil, a quantidade de matérias é a mesma de uma faculdade presencial, provas e trabalhos são iguais, só que a desvantagem é que você tem que se virar mais sozinho, porém tendo disciplina, correr atrás, fazer pesquisas, mas com o tempo fui me adaptando – explicou.

Flexibilidade também foi uma das escolhas da auxiliar administrativo Ariana Almeida que trabalha e faz o 5º período da faculdade de administração.

– Primeiramente o que me atraiu foi o valor da mensalidade e depois a necessidade de não precisar ir à faculdade todos os dias, pois trabalho o dia todo e não conseguiria acompanhar as aulas, a distância posso ter acesso as aulas pelo computador e acabo estudando de casa no horário que posso, normalmente aos finais de semana. Como é bastante conteúdo, não dá para deixar acumular, às vezes me perco, mas num todo consigo me adaptar, o importante é manter uma organização – disse.

Mirian Siqueira de Lima é exemplo de que com dedicação e persistência qualquer um pode alcançar seus sonhos. Mesmo ainda não estando formada, a aluna de Ciências Contábeis foi contratada por um escritório de contabilidade.

– Optei por esse método por vários motivos  viabilidade, horário e na parte financeira fica mais acessível. Antes de começar pesquisei bastante, conversei com várias pessoas que também optaram pelo ensino EAD, e o certificado também é reconhecido pelo MEC. Fiquei feliz com esse método, não tenho dificuldade nenhuma, mas tudo depende do aluno se quer realmente aprender ou não. Estou cursando ciências contábeis, a faculdade disponibiliza vários materiais para auxiliar e nos incentivar a ir cada vez mais em busca de conhecimento e se tornar um profissional na área desejada, depois de cinco meses após o término do contrato pelo CIEE acabei sendo contratada – falou.

Apesar do valor das mensalidades ser relativamente inferior se comparado aos cursos presenciais. O estudante Adrian Ribeiro Carius Ferreira pensa em trancar a faculdade de Sistemas de Informação.

– Decidi pelo curso porque gosto da área de tecnologia e meu tempo para fazer presencial era muito apertado, estudo há dois anos e estou no 4º período. Não tive dificuldades, pelo contrário, achei muito prático o método de aprendizagem, o importante é ser bem compromissado com horários e ter uma boa internet. Por motivos financeiros trancarei durante um tempo, mas tenho a intenção de voltar futuramente – relatou.

Veja a Matéria Original Aqui!